26.2 C
Tocantins
sexta-feira, abril 19, 2024
- Publicidade -

Maior festança do Tocantins impulsiona economia e movimenta milhões no setor de serviço

- Publicidade -spot_img

Demandando mão de obra local para montagem da estrutura, abrangendo setores como hotelaria, beleza, confecção, ambulantes e até mesmo agricultura familiar
O Arraiá da Capital, maior festança do Tocantins, vai muito além de suas raízes culturais juninas e trouxe impacto na economia da cidade estimado em mais de R$ 10 milhões, movimentando diversos setores e gerando mais de 700 empregos. O investimento com a estrutura, repasses para as juninas, premiações, faturamento dos ambulantes e valorização dos artistas locais são alguns dos pilares que impulsionaram esse fortalecimento da economia local.

Nesse sentido, um montante de R$ 823,5 mil foi repassado às juninas dos grupos Especial e de Acesso, destinado à confecção de roupas e sapatos, contratação de coreógrafos e músicos, além da aquisição de adereços. Para a gestão de Palmas, esse investimento não só valoriza as tradições culturais, como também movimenta o comércio em Palmas, uma vez que os materiais são adquiridos de fornecedores locais.

O evento também contemplou premiações, com um total de R$ 115 mil distribuídos entre as atrações vencedoras. A Fundação Cultural de Palmas (FCP) também investiu R$ 50 mil para o pagamento de dez artistas que se apresentaram no Coreto do Forró durante as cinco noites, contribuindo também para a valorização dos artistas regionais.

Outro impacto econômico relevante é o faturamento gerado com a participação de 31 ambulantes na Vila Gastronômica, que conseguiram faturar um montante de R$ 345 mil em vendas, de acordo com o relatório da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego (Sedem). Esses ambulantes ofereceram produtos típicos das festas juninas, como comidas, bebidas, brinquedos e artesanatos, dando dinamismo ao comércio local e até mesmo a agricultura familiar, que pode comercializar produtos típicos como milho, amendoim, mandioca, farinha e frutas regionais.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Emprego, Tom Lyra, foi o setor de serviço quem desempenhou o maior papel no Arraiá da Capital. “Ele gerou emprego e renda com a montagem de estruturas, com a venda de comidas, bebidas e artesanato, confecção de figurino, com beleza e cuidados pessoais. Pousada e hotéis também experimentaram um aumento na demanda, assim com o comércio de tecidos e aviamentos, varejo e agricultura familiar que se beneficiaram devido ao uso de itens para confecção de roupas, adereços e ingredientes para comidas típicas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

Mais lidas
MAIS LIDAS