26.2 C
Tocantins
sexta-feira, abril 19, 2024
- Publicidade -

Membro de facção responsável por executar casal de namorados na noite de Natal é preso pela Polícia Civil

- Publicidade -spot_img

Indivíduo também é suspeito de ter praticado outros três homicídios no mês de fevereiro na Capital.

Como mais um resultado da Operação Tolerância Zero, do Governo do Estado, a Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), por intermédio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP-Palmas), prendeu na manhã desta sexta-feira, 3, um dos membros da facção responsável por executar o casal de namorados Victor Iury Gomes de Almeida Sabbag e Luana Soares Azevedo. O crime ocorreu na noite de Natal do ano passado e os corpos foram encontrados na madrugada do dia 25 em uma estrada vicinal, às margens da Rodovia TO 030, que liga Taquaralto ao Distrito de Taquaruçu.

O homem está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP) e, segundo o delegado da DHPP Eduardo Menezes, trata-se de um indivíduo de alta periculosidade. “Além do homicídio do casal, esse homem é suspeito de ter praticado outros três homicídios no mês de fevereiro, em Palmas, em briga entre facções. Trata-se de uma pessoa de alta periculosidade, sendo um dos homens escalados pela facção para matar. Essa é uma prisão de grande importância que, sem dúvidas, vai impactar na ocorrência de homicídios na Capital”, destacou o delegado.

As investigações sobre o assassinato do casal tiveram início com o acesso ao material que havia na bolsa de Luana, encontrada no local do crime. Dentre documentos, cartões de banco e objetos de natureza pessoal, havia a chave de um hotel de Palmas. Os investigadores descobriram que Luana e Victor saíram da cidade de Cristalândia, município onde residiam, na tarde do dia 24 de dezembro, chegando a Palmas por volta das 20 horas.

De acordo com o delegado Eduardo Menezes, Victor, enquanto membro de uma organização criminosa da cidade de Cristalândia, tentou matar um integrante da facção rival na cidade. Temendo uma represália, junto com a namorada, fugiu para Palmas na véspera de Natal. “Ocorre que a facção inimiga descobriu essa tentativa de abrigo na capital. A estratégia utilizada pelos criminosos para chegar até Vitor foi recrutar um jovem próximo à vítima com a missão de fazê-lo acreditar que iria a uma festa, quando na verdade iria a um ponto de venda de drogas da facção com pessoas o aguardando para matá-lo”, contou o delegado.

Para fazer Vitor acreditar que realmente iria a uma festa, o homem chega a levar a vítima a uma distribuidora de bebidas  para comprar cerveja. Da distribuidora, Victor e Luana, são levados para  a boca de fumo e, lá, são sequestrados por dois membros da facção rival e levados até uma região de mata próxima ao Distrito de Taquaruçu, onde são executados.

O homem responsável por atrair as vítimas até a boca de fumo foi preso no último dia 2 de fevereiro.

- Publicidade -spot_img

Mais lidas
MAIS LIDAS